Dispositivos de medição auscultatória

Os dispositivos de medição auscultatória determinam a tensão arterial através da monitorização dos sons de Korotkoff. Uma braçadeira insuflável é colocada à volta do braço, aproximadamente à mesma altura na vertical que o coração. Normalmente está associado a um manômetro de mercúrio. A braçadeira ajusta-se e insufla manualmente apertando uma pera de insuflação de borracha ou – como é no caso do Tensoval duo control – automaticamente, até que a artéria esteja completamente obstruída (cerca de 30mmHg acima da pressão sistólica). De seguida, a pressão da braçadeira é lentamente libertada. Quando o sangue começa a fluir para a artéria, o fluxo cria uma pulsação sincrónica do pulso (primeiro som de Korotkoff). A pressão a que se deteta pela primeira vez este som é a tensão arterial sistólica. A pressão da braçadeira continua a ser libertada até não se conseguir detetar nenhum som na tensão arterial diastólica.

 

Esfigmomanómetro de Mercúrio

Dispositivos de medição auscultatória

Este tipo de dispositivo de medição da tensão arterial é denominado de "padrão ouro" da medição da tensão arterial, porque é altamente fiável e preciso. Essa é a razão por que é predominantemente utilizado como um sistema de referência em estudos de validação clínicos. Devido às suas características toxicológicas e ecológicas (palavra-chave: mercúrio) a sua utilização é limitada pelas autoridades governamentais na maioria dos países da União Europeia ou até mesmo proibida.O princípio de medição subjacente é o mesmo que o dos estetoscópios.

 

Estetoscópio

Dispositivos de medição auscultatória

Stethoscopes are mainly used in the doctors’ office because of their reliability and accuracy. In contrast to quicksilver-sphygmomanometers the pulse signals are transformed into readable values by a mechanical technology.

Modo de funcionamento
Um esfigmomanómetro consiste normalmente numa braçadeira insuflável, uma unidade de medida (o manómetro), um tubo para conectar ambos e (nos modelos que se insuflam automaticamente) também uma pera de insuflação conetada à braçadeira por um tubo. A pera de insuflação contém uma válvula unidirecional que previne o vazamento acidental da pressão já que uma válvula ajustável com um parafuso permite ao utilizador que a pressão diminua no sistema de forma controlada.
A braçadeira é colocada na vertical, à volta do braço, aproximadamente à altura do coração, enquanto o paciente está sentado. A braçadeira é insuflada até que a artéria esteja completamente obstruída. Ouvindo com um estetoscópio, à altura do cotovelo, a artéria braquial, o observador liberta lentamente a pressão da braçadeira. Com a diminuição da pressão na braçadeira, ouvirá um som "sibilante" ou pulsátil (sons de Korotkoff) quando o fluxo do sangue começa a fluir novamente através da artéria. A pressão à qual começa este som é detetada e registada como tensão arterial sistólica. A pressão a que se deteta pela primeira vez este som é a tensão arterial sistólica. A pressão da braçadeira continua a ser libertada até não se conseguir detetar nenhum som na tensão arterial diastólica.

Medição com estetoscópio no consultório médico: o processo correto de medição