Tratamento farmacológico para baixar a tensão arterial

Se for necessário um tratamento farmacológico para baixar a tensão arterial, o mesmo deve ser consistente e regular. As seguintes classes de fármacos/substâncias (anti-hipertensores) destinam-se a tratar a hipertensão:

Inibidores IECA e antagonistas do recetor AT-1
A ação dos fármacos destas classes consiste em impedir a formação de uma hormona angiotensina II que aumenta a tensão arterial. Os IECA destinam-se a relaxar os vasos sanguíneos e reduzem consideravelmente a tensão arterial. Previnem lesões no organismo.

Diuréticos (drenantes, diuréticos)
Tiazinas e diuréticos da ansa (especialmente em pacientes com insuficiência renal) e diuréticos poupadores de potássio fazem parte destes fármacos com atividade renal. Actuam no funcionamento dos rins e estimulam a saída do excesso de àgua e sódio do organismo através da urina. Isto reduz a quantidade de líquidos no sangue.Dado que as doses mais elevadas também produzem a eliminação de minerais como o potássio, quando se tomam diuréticos, deve-se incluir na dieta alimentos ricos em potássio (como bananas, frutos secos, batatas) ou tomar suplementos minerais em forma de comprimidos.

Betabloqueadores
Betabloqueadores são medicamentos que bloqueiam os recetores ß no organismo, o que inibe o efeito de certas hormonas de stress. Estas hormonas de stress (norepinefrina, epinefrina) têm normalmente um efeito estimulante em vários órgãos, incluindo o coração. Estes bloqueadores são projetados para reduzir a frequência cardíaca, o coração bate mais lentamente e é aliviado da pressão.

Bloqueadores de canais de cálcio ou antagonistas de cálcio
Estes bloqueadores não possibilitam a entrada do cálcio nas células do músculo do coração e dos vasos sanguíneos, deste modo, os vasos sanguíneos dilatam e a pressão cai.

Bloqueadores de canais de cálcio ou antagonistas de cálcio
Estes bloqueadores não possibilitam a entrada do cálcio nas células do músculo do coração e dos vasos sanguíneos, deste modo, os vasos sanguíneos dilatam e a pressão cai.

Os fármacos nestas classes de substâncias podem ser individualmente prescritos (monoterapia) ou em conjunto (terapia de combinação) – tendo em conta possíveis distúrbios iniciais ou secundários. Se a terapia inicial não é adequada, o medicamento ou a combinação podem ser alterados até que a tensão arterial baixe efetivamente.

Por vezes os pacientes sentem o tratamento com fármacos para a hipertensão como desconfortável, uma vez que a diminuição da tensão arterial pode inicialmente fazer com que o paciente se sinta cansado e exausto. O organismo tem primeiro que se ajustar e habituar, para baixar a tensão arterial. Os medicamentos devem por isso ser administrados gradualmente, p.ex.uma dose mais fraca no início, que é aumentada passo a passo. Deste modo, o corpo tem tempo para se ajustar lentamente. A adaptação pode levar um mês.

Terapia da hipertensão